fbpx
NÓS TE LIGAMOS:

Solicitar Contato

Demonstração GRÁTIS

[Janeiro/21] Pix para empresas: o que você deve saber sobre essa inovação

«

Você sabe como funciona o Pix para empresas? Entender sobre esse assunto é importante, tendo em vista se tratar de uma alternativa entendida como uma boa aposta para revolucionar os meios de pagamento, já que é um novo sistema de pagamentos instantâneos desenvolvido pelo Banco Central, que gera agilidade e praticidade relevantes no fluxo de transação, seja para pessoas físicas, seja para jurídicas.

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo para explicar os principais pontos a respeito do tema, bem como apresentar suas vantagens. Acompanhe!

O que é o Pix?

O Pix se trata de uma nova forma de pagamento e transferências bancárias em tempo real. Sendo assim, além do DOC, TED, cartão de crédito e débito, boletos, entre outros, pessoas jurídicas e físicas também contam com a alternativa de realizar esse processo por meio do Pix, que permite o recebimento imediato, no dia e horário em que ele é realizado, independentemente da instituição financeira.

Como essa ferramenta vai funcionar na prática?

O Pix vai ser disponibilizado por qualquer instituição bancária que tenha homologação no Banco Central e estar adequada aos requisitos estabelecidos para o oferecimento de pagamentos instantâneos. Com isso, cada banco tem responsabilidade pela criação da página em seu internet banking.

Então, essas instituições serão interligadas ao Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI), viabilizando que pessoas jurídicas e físicas solicitem o cadastro no Pix para utilizá-lo, a qualquer momento. 

Não há um aplicativo específico para o funcionamento do Pix, por isso, é preciso possuir uma conta em banco, fazer o cadastro das chaves e, assim, estará habilitado para uso.

Quais as diferenças entre o Pix, TED, DOC, boletos, cartão de crédito e débito?

Veja a seguir, as principais diferentes a essas formas de transações e pagamentos.

Pix, TED e DOC

Quem realiza o envio do valor por meio do Pix necessita somente da chave do destinatário. Já no TED e no DOC é preciso ter os dados bancários do recebedor, que ocorrerá em apenas em dias úteis, durante o horário comercial.

Pix e boleto

Quando a empresa emite um boleto, por intermédio do Pix o pagamento pode ser realizado por meio do Código QR, enquanto nos boletos é feito por intermédio do código de barras, que geralmente é compensado no primeiro dia útil.

Pix e cartão de crédito

O Pix não disponibiliza crédito, por isso, é necessário ter dinheiro em conta para utilizá-lo, além disso, o dinheiro fica disponível imediatamente. No caso do cartão, há um limite de crédito determinado que pode ser usado, que leva em média de 28 dias.

Pix e cartão de débito

No caso do Pix, todas as transações podem ser realizadas por meio do celular. Já no cartão de débito a liberação ocorre apenas em sistemas de compras e pagamento online. O dinheiro do pagamento realizado por esse meio entra em conta em torno de dois dias depois.

O Pix vai acabar com o DOC, TED ou boleto?

O Pix proporciona para as empresas a alternativa de transferir e receber valores em poucos segundos, 7 dias da semana, 24 horas por dia, o que simplifica o pagamento de fornecedores, funcionários, entre outros, já que não é necessário esperar dias úteis.

Ainda, tudo é feito de forma online, por meio de sistemas já existentes nas instituições financeiras. Por esse motivo, o esperando é que essa novidade venha substituir esses outros modelos de operações, que continuação existindo, mas que perderão a preferência, por ser mais simples e barato.

Quais são as vantagens de oferecer o Pix aos clientes?

O Pix pode gerar diversos benefícios para a empresa, tanto no momento de realizar pagamentos, quanto de receber. Entre eles, estão:

  • os pagamentos serão realizados de maneira direta, sem intermediários;
  • as transações podem ocorrer em qualquer horário e dia da semana;
  • o valor cai direto na conta em poucos segundos;
  • as tarifas são mais baratas quando comparadas a outros modelos de pagamento;
  • os pagamentos se tornam mais simples e ágeis para o cliente;
  • o fluxo de caixa fica mais otimizado com pagamento feito em tempo real;
  • as operações se tornam mais seguras, sem risco de cartões clonados ou boletos falsos;
  • aumento da lucratividade e vantagem competitiva ao empreendimento.

Quanto custa o Pix para as empresas?

No caso das empresas, poderá ser cobrada uma taxa fixa por transação. Nesse caso, ainda não há valores preestabelecidos e as tarifas serão determinadas pelas instituições financeiras. Contudo, o esperado é que os valores sejam mais baixos do que os cobrados atualmente em transferências via TED e DOC.

Como é feito o cadastro e criação das chaves?

Para que a empresa possa começar a usar o PIX, é necessário fazer o cadastro por meio de uma instituição financeira. Nesse cadastro, será criada uma chave Pix, que vai funcionar como uma nomenclatura para identificar a empresa responsável por cada transação. Ela pode ser o CNPJ do negócio, celular, e-mail ou outro código gerado pelo próprio sistema.

No caso das empresas, é possível registrar as 20 chaves, diferentemente da pessoa física, que está autorizada a cadastrar apenas 5 chaves. Apesar de serem mais práticas, essas chaves não são obrigatórias, podendo a organização utilizar outras formas de pagamento e transferências. Ademais, não é obrigatório o cadastro de chaves em todos os bancos que o negócio tiver conta, então, é possível optar somente pela instituição que mais utiliza.

Como realizar uma cobrança e receber pelo Pix?

Para fazer a cobrança com o Pix, é preciso emitir um QR Code e encaminhar ao cliente. Também, as chaves podem ser informada ou digitadas de forma manual, em situações de transferências instantâneas.

O QR Code pode ter um padrão, em casos de produtos com a mesma descrição e valor, ou gerados a cada operação. Essa emissão poderá ser realizada pelos aplicativos das instituições bancárias.

O Pix é um meio é seguro para as empresas?

As maneiras de autenticação realizadas pelo Banco Central para transferências via Pix seguirão os mesmo padrões do TED ou DOC. Por esse motivo, o Pix pode ser considerado um meio seguro, já que tem criptografia complexa e rastreio pelos parceiros do SPI.

Caso, ocorra alguma fraude que envolva o Pix, a responsabilidade fica para as instituições financeiras, o que possibilita que elas estabeleçam limites de valores para evitar esses problemas.

Agora que você entende como funciona o Pix para empresas, é importante ter em mente que apostar nessa novidade pode ser uma solução bastante benéfica para atrair clientes, conquistar vantagem competitiva e melhorar a gestão e controle do fluxo de caixa.

Já utilizou o Pix para alguma transação? Deixe seu comentário aqui e compartilhe sua opinião e experiência sobre o assunto!

Menu Oriontec Facebook Oriontec Instagram Oriontec Linkedin Oriontec Youtube Oriontec